7 de março de 2019

Nova Palmeira

NOTA PÚBLICA

Torna-se público através dessa nota, a forma como vem sendo tratado o Serviço Público e a desvalorização dos servidores no município de Nova Palmeira. Os profissionais sofrem constantes punições não pelo desempenho das suas funções ou pela sua conduta em serviço, mas simplesmente pelas suas posições e manifestação política, cujo direito é garantido na Constituição Federal e deve ser imutavelmente respeitado.

Pior ainda é perceber que não existe política de melhoria salarial para a categoria dos servidores públicos, em especial aquelas que recebem seus vencimentos acima do mínimo e não são contemplados com reajuste do salário mínimo nacional. A exemplo dos profissionais da saúde e os demais de nível superior que vêm sofrendo ao longo dos anos com o achatamento salarial por falta de valorização e reajuste em seus vencimentos.

Mesmo depois de várias solicitações do sindicato, a gestão municipal não se posiciona favorável à categoria, desconsiderando essa triste realidade, mas se posiciona com “mão de ferro”, sempre que algum servidor discorda do modelo da gestão atual ou não acompanha o grupo político do gestor.

Essa prática abusiva por parte da gestão vem sendo uma constante, desde os primeiros dias da administração. Dessa vez, as vítimas foram o servidor público e também vereador, Orlando Pereira, que sofreu retaliações por não ter atendido o pedido do gestor para votar no candidato a presidente da mesa diretora da Câmara Municipal e a servidora Francisca Aparecida Vasconcelos de Mendonça que foi transferida pela segunda vez do seu local de trabalho pela gestão atual,  sem nenhuma justificativa.

Essas e tantas outras retaliações entristecem e revoltam a população que acreditou em mudanças e respeito aos servidores. Diante do exposto, o sindicato sempre se posicionou e se posicionará contrário à transferência de servidores, sem que haja diálogo com o trabalhador e justificativas plausíveis e legais no ato da transferência.

Temos a consciência do poder discricionário do gestor em transferir qualquer servidor público de um setor para outro, desde que fique comprovado a ausência de perseguição, ou que não seja necessário serviço do trabalhador na referida repartição. Não é o que vem acontecendo com as transferências feitas pelo senhor prefeito até o presente momento.

Esses casos de retaliação são humilhantes, “nojentos” e totalmente desnecessários dentro dos padrões LEGAL E MORAL de uma gestão que respeita e valoriza o seu maior patrimônio, o SERVIDOR. Portanto, a sociedade precisa ser notificada e conhecedora de tantos abusos.

Mesmo assim o SINPUC apela para que a atual gestão municipal reveja essas práticas antidemocráticas e trate com respeito às categorias dos servidores públicos valorizando e reconhecendo como patrimônio municipal.

Atenciosamente,

A direção

27 de fevereiro de 2019

26 de fevereiro de 2019