19 de agosto de 2016

Nova Palmeira

APOSENTADOS E PENSIONISTAS ACIONAM MINISTÉRIO PÚBLICO POR CAUSA DE ATRASOS SALARIAIS

Na última quarta-feira, 17, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e Seridó (SINPUC), Edilândia Ferreira, o secretário-geral, Sebastião Santos, e uma comissão de aposentados acionaram o Ministério Público (MP) da Comarca de Picuí, para pedir providências para evitar a continuidade dos atrasos salariais em Nova Palmeira.

O promotor, Leonardo Quintans Coutinho, após ouvir os dirigentes e a comissão de inativos, garantiu que irá notificar a gestão e solicitar mais informações a respeito do problema.

Edilândia Ferreira disse que “não é possível mais conviver com atraso de pagamento no município de Nova palmeira”. Sebastião Santos acrescentou que o sindicato prioriza o diálogo com a gestão, mas não tem como permitir que os servidores não recebam seus vencimentos em dia. “Iremos contar com a união da categoria, a organização do sindicato e com a seriedade do Ministério Público”, informou.

Sindicalistas e comissão saíram confiantes e acreditam que, com o apoio do MP o problema será resolvido.

17 de agosto de 2016

São Vicente do Seridó

CAOS ADMINISTRATIVO FORÇA PARALISAÇÃO
POR TEMPO INDETERMINADO


Desde ontem, os servidores do município de São Vicente do Seridó paralisaram os serviços nos órgãos públicos até que a Prefeitura resolva uma série de problemas enfrentados por diversas categorias.

No município os trabalhadores não têm um cronograma de pagamento e enfrentam dificuldades para gozar férias, além de o pessoal da saúde, não receber o terço de férias. As licenças também não têm critérios certos para serem concedidas. 

“O sindicato solicitou que se fizesse um cronograma que nunca foi feito para acompanhar quais servidores estão gozando desses direitos”, explicou Janiel Dantas, secretário de comunicação do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e Seridó (SINPUC).


Outro problema grave é que muitos trabalhadores estão com o nome sujo nos serviços de proteção ao crédito porque os descontos relativos a empréstimos consignados, contraídos devido à falta de pagamento dos seus vencimentos, não são repassados pela Prefeitura para as instituições financeiras.

A data-base para pagamento de salários também não é respeitada e os servidores, que deveriam receber até o quinto dia útil do mês seguinte ao trabalhado, quando recebem, muitas vezes, têm de esperar até o dia 20 ou 30.

Ainda de acordo com informações do secretário de comunicação do SINPUC, será realizada uma panfletagem, hoje, para informar aos cidadãos do município as razões pelas quais a paralisação não pôde ser evitada.

11 de agosto de 2016

Nova Palmeira

APOSENTADOS E PENSIONISTAS TÊM SALÁRIOS ATRASADOS

Servidores inativos de Nova Palmeira estão enfrentando problemas para receberem seus salários em dia. O município vem atrasando o pagamento de salários desde o segundo semestre de 2015.

O Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Nova Palmeira (IPSENP) tem 98 inativos e pensionistas em sua folha de pagamento. Até maio, de acordo com o Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (SAGRES) do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), esse contingente recebeu R$ 622.427,97. A média mensal da folha dos inativos e pensionistas é de R$ 124.485,59.

Os dirigentes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e Seridó (SINPUC) têm duas preocupações em relação ao IPSENP. A primeira é com o acúmulo dos atrasos que, em Nova Palmeira, já se transformou numa bola de neve. A segunda é com as condições de vida desses aposentados.

“Essas pessoas são idosas e necessitam dos seus salários para se alimentarem, se medicarem nessa etapa tão importante da vida”, explicou a presidente, Edilândia Ferreira. “Não há data- base para pagamento de funcionários e, o que é mais grave, nem tão pouco dos aposentados e pensionistas que amargam a incerteza de não receberem seus vencimentos mesmo depois de terem trabalhado durante quase uma vida inteira”, reforçou Edilândia.

Os inativos e pensionistas não receberam os salários do mês de julho. “Muitos tem procurado O SINPUC para reclamar, desabafar e falar do desrespeito”, informou a presidente.

O sindicato está recebendo as reclamações e vai acionar a assessoria jurídica para avaliar uma medida judicial em caso de continuidade dos atrasos. “A atual gestão não consegue cumprir um compromisso primordial, como o pagamento dos trabalhadores. Deveria ao menos ter respeito por essas pessoas idosas”, finalizou Edilândia.